Ministério da Saúde anuncia parceria para produção de vacina contra Covid-19 no Brasil

Ministério da Saúde anuncia parceria para produção de vacina contra Covid-19 no Brasil

O Ministério da Saúde acaba de anunciar uma parceria para a pesquisa e produção nacional de uma vacina contra Covid-19. A vacina em questão é a mesma que começou a ser testada em profissionais de saúde de São Paulo. Ela é desenvolvida pela Universidade de Oxford, do Reino Unido, e pela farmacêutica AstraZeneca.

Segundo informações do G1, a pasta informou em um comunicado que o governo federal aceitou a proposta feita pela embaixada britânica e pela empresa para a cooperação no desenvolvimento tecnológico e, junto com ele, o acesso do Brasil à vacina ChAdOx1.

Esse acordo prevê a compra de lotes da vacina e da transferência de tecnologia. A previsão inicial é da entrega de 30 milhões de doses em dois lotes: 15 milhões em dezembro deste ano e 15 milhões em janeiro de 2021.

A tecnologia será desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). "Os estudos preliminares de fase 1 e 2 mostram que tem uma resposta bastante significativa, mas se os estágios clínicos não se mostrarem seguros, teremos aprendido com o avanço tecnológico", disse o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros.

No texto, o Ministério da Saúde esclareceu que o acordo tem duas etapas. A primeira consiste na encomenda de frascos da vacina e que o país assuma os custos de parte da pesquisa. Com isso, o Brasil se compromete a pagar pela tecnologia, ainda que não tenham se encerrado os estudos clínicos finais.

Na segunda etapa, se a vacina for comprovada segura, a estimativa é de que mais 70 milhões de doses sejam compradas no valor estimado de US$ 2,30, o equivalente a R$ 12,60 por dose.

"Nessa fase inicial, de risco assumido, sera?o 30,4 milho?es de doses da vacina, no valor total de U$ 127 milho?es, inclui?dos os custos de transfere?ncia da tecnologia e do processo produtivo da Fiocruz, estimados em U$ 30 milho?es", diz outro trecho do comunicado.

Apontada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a mais promissora, a vacina de Oxford está na fase 3 de desenvolvimento, a última antes da aprovação e distribuição.

 

 

Por:Jequitinhonhanews.com/BN

Comente nossa matéria usando o Facebook
AVISO: O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade do autor da mensagem.